5 Resoluções de Ano Novo para se manter pobre

|Posted by | Lifestyle, Todos os Artigos
Tags: , , , , ,

Se pretende melhorar a sua situação financeira, aqui estão algumas resoluções de Ano Novo que farão com que se mantenha pobre, ou seja, que deve evitar em 2016.

O Ano Novo é uma ocasião para novas resoluções, que certamente o ajudarão a melhorar mas que, por outro lado, poderão tornar a sua vida mais complicada. Se o seu objetivo é poupar ou ganhar dinheiro até ao final do presente ano, evite fazer estas resoluções.

1. Fazer Resoluções Financeiras Sem Fim

As resoluções financeiras podem ser inúteis ou perigosas caso não sejam quantificadas. Exemplo disso seria tomar a decisão de se “tornar rico” ou “fazer mais dinheiro”. Estes termos são vagos e não permitem o devido planeamento. Sem resoluções quantificáveis, é mais fácil cair em esquemas financeiros e produtos tóxicos.

Digamos, por exemplo, que tem um objetivo mensurável de alcançar que ronda fazer mais 6.500 euros até ao final do ano. Será bastante mais fácil para si olhar e avaliar os produtos financeiros existentes no mercado – iria saber que, a título exemplar, métodos como Marketing de Pirâmide nunca gerariam esse montante. Mesmo que fosse atraído para tal, poderia medi-los face ao seu objetivo (digamos, um extra de 540 euros por mês) e, então, saberia que teria de tentar algo mais.

2. Pagar Toda a Dívida no Menor Espaço de Tempo

Podemos alocar grandes quantias do seu ordenado (25% ou mais) para amortizar uma dívida. Não é errado fazê-lo de forma a diminuir o juro associado. O problema prende-se com o facto de não podermos apressar o pagamento e sujeitarmo-nos a uma situação em que não temos quaisquer poupanças.

Se vive consoante o ordenado que recebe, todo este montante irá para abatimento da dívida e pode chegar a um ponto em que se encontrará num ciclo financeiro precário, do qual não irá sair. Se uma emergência surgir e não tiver poupanças, vai ser obrigado a voltar a recorrer ao crédito.

Faça pagamentos de forma estratégica. Se tem um cartão de crédito, tente planear uma transferência de saldo para o seu pagamento a 100%. Ou se tiver contraído um crédito pessoal, defina-o pagamentos fixos a cada mês. Se precisar de mais tempo para pagar, não há problema; mas garanta que possui poupanças no momento desses pagamentos.

3. Comprar um Carro Novo (Caso Ainda Não Tenha uma Casa)

Atualmente, o crédito automóvel é limitado a 50% do financiamento. A média de preços de automóveis ronda os 17 mil euros, ou seja, teria de pagar do seu bolso 8.500 euros – e o resto pagaria via crédito, num período máximo de até 5 anos. O valor de entrada para uma casa com três quartos pode ir até aos 20 mil euros (se não for mais). E, convenhamos, uma casa é um bem que fará parte do seu património. Relativamente ao carro novo, todos nós sabemos que o valor do automóvel decresce à medida que o vamos utilizando. Caso decida ir em frente, então saiba como escolher um seguro automóvel.

4. Poupar Sem Investir

A maioria dos preços dos bens em Portugal aumenta um valor significativo todos os anos. Este ano em Portugal, os preços irão aumentar na eletricidade, pão, rendas e telecomunicações. Ainda para mais, a maioria das poupanças a um ano terão um máximo de 0,5% de juros (muito pouco quando comparado com períodos anteriores). É importante ter poupanças até seis meses para eventuais emergências. Contudo, uma porção do seu dinheiro também precisa de ser investido de modo a vencer a inflação.

Caso contrário, estará efetivamente a perder dinheiro porque o seu dinheiro vale menos a cada ano que passa. Um amigo seu especialista no assunto ou mesmo um conselheiro financeiro pode recomendar um produto específico, que pode incluir planos de doação, obrigações indexadas à inflação, fundos negociados em bolsa, entre outros.

5. Lançar um Negócio Próprio

Esta é, sem dúvida, uma forma de perder ou ganhar dinheiro (e tempo). 80% de novos negócios abrem falência nos primeiros 10 anos com o devido financiamento. A maior parte dos novos negócios, sejam lojas de e-commerce ou joalharia artesanal, levam entre três a seis meses para atingir o break-even.

Ao invés de torná-lo uma resolução de Ano Novo, decida ir ao encontro de pequenos objetivos específicos que, acumulados, irão possibilitar abrir um negócio e realmente fazer dinheiro com ele. Veja aqui alguma opções de financiamento. Passo a passo! Uma coisa de cada vez!

Adriana Inácio

Sobre Adriana Inácio

Formada em Gestão Hoteleira e especializada em Marketing Digital, a Adriana iniciou a sua carreira em hotelaria e, posteriormente, em marketing e publicidade. Explorando a temática das Finanças Pessoais associadas à Cultura e Lifestyle, das promoções aos cupões, passando pelas dicas de poupança mais criativas, a Adriana está sempre à procura de novas formas de ajudar os portugueses a otimizar a sua gestão financeira.