Menu
Ligue
Ligue 211 165 765 Seg - Sex: 10h às 19h

Sucesso - terminou sessão

Enviaremos um email com as instruções para poder alterar a sua palavra-passe

Cartao de credito

6 Lições a reter da primeira dívida do cartão de crédito

Por Frederico Moura Martins em October 27, 2017 | Tempo de leitura: 3 minutos

Dívida do cartão de crédito
É muito melhor aprendê-las sem acumular dívida do cartão de crédito.

Para uma parte de jovens portugueses, o primeiro grande choque aparece na forma de uma conta do cartão de crédito. De facto, muita gente não tem noção do quão rápido se acumulam gastos com cartão, apenas se apercebendo do sucedido quando recebem uma fatura de 10 mil euros para pagar.

Mas, como reza o ditado popular, “à primeira todos caem, à segunda só cai quem quer e à terceira só cai quem é parvo”, ou seja, as seguintes lições valem a pena conhecer:

1. Não vai perceber como chegou a este ponto

A negação é a primeira fase. Não vai compreender como a dívida chegou aos 10 mil euros. De facto, o que se lembra de ter comprado foram apenas algumas refeições, um par de sapatos e uns quantos bilhetes para concertos. Será que “desligou” durante as outras compras?

Parece que sim.

Alguns estudos mostraram já que os cartões de crédito aumentam a vontade de gastar. A parte do cérebro que o avisa para os gastos excessivos parece desligar-se sempre que segura num cartão, encorajando compras impulsivas.

Noutro conceituado estudo levado a cabo por Prelec e Simester, foi revelado que basta ver um logotipo de um cartão de crédito para ficar com vontade de comprar algo.

Para além disso, quando não tira dinheiro da carteira, não sente a dificuldade em gastar. Como consequência, vai comprar mais impulsivamente e em maiores quantidades. Consequentemente, não se vai aperceber de como o cartão de crédito o confundiu até à primeira vez que recebe uma espetacular fatura.

Assim, no ComparaJá.pt recomendamos às pessoas que revejam a conta do cartão de crédito pelo menos uma vez a cada três dias, constituindo a melhor maneira de saberem quanto estão a gastar e quando têm de parar e deixar o cartão em casa. Não reveja apenas no final do mês – aí já deve ter uma dívida monstruosa.
Descubra: A usar cartão de crédito pela primeira vez? 5 Coisas que deve saber

2. Pagar a dívida do cartão é como tentar fazer com que o Titanic não afunde

Após três meses de pagamentos em desespero, vai dar uma olhadela à sua dívida para descobrir que foi reduzida em… praticamente nada. Quando a dívida do cartão é demasiado grande, a taxa de juro (que em Portugal ronda os 18%) por si só constitui uma grande fatia do pagamento. Por exemplo:

  • Imagine de possui uma dívida de mil euros no cartão, a uma taxa de juro anual de 18%, a pagar em 12 meses. Ora, se pagar 15 euros por mês, sem utilizar o cartão para outras compras, na primeira mensalidade acarreta 16% de juros.

Saiba, no entanto, que, apesar de 15 euros por mês durante um ano ser um pagamento bastante suave, a taxa de juro pode ser diminuída se decidir pagar uma percentagem maior em menos tempo. E, para além disso, antes de escolher o cartão, deve saber qual a modalidade de pagamento que lhe dá mais vantagens: se com taxa de juro fixa ou variável.

No final de contas, o que o vai fazer pensar é se utiliza uma enorme parte do salário todos os meses, para pagar menos juros ou ficar mais desafogado todos os meses, mas ter uma dívida durante muito mais tempo. Pondere pagar a totalidade do crédito, ficando dessa forma sem juros.

Agora percebe que não estamos a brincar quando dizemos que os cartões de crédito não existem para serem usados dessa forma. É suposto pagar o montante total que deve, não deixando montantes por pagar todos os meses, pois desta forma corre o risco de a sua dívida incorrer no efeito bola de neve, levando-nos à próxima lição:
Saiba mais: Como funciona o pagamento dos cartões de crédito?

3. Dívida do cartão de crédito: só os profissionais podem ajudá-lo

Não perca tempo a explicar os seus problemas a ninguém, exceto a 1) especialistas financeiros, como consultores de crédito, ou 2) pessoas que já passaram pelo mesmo. Até porque a maioria das pessoas vai apenas dizer que nunca deveria ter chegado a essa situação, nem nunca utilizam cartões de crédito (o que não constitui uma jogada totalmente segura, uma vez que será mais difícil conseguir um crédito à habitação sem qualquer historial de crédito).

Vá diretamente a profissionais qualificados. Um bom sítio para começar, para além do seu gestor de conta da sua instituição financeira, é a Associação de Instituições de Crédito Especializado. Também os consultores financeiros do ComparaJá.pt estão preparados para ajudá-lo e tirar quaisquer questões que tenha.

4. Apesar de tudo, será tentado a usar o cartão outra vez

É parecido com uma ressaca. Apesar de prometer que não volta a beber, as probabilidades de isso acontecer são bastante baixas.

Existe uma tentação grande em pedir mais plafond para o cartão, especialmente se o que paga tem um grande peso no salário que recebe. Em vez de fazer o sacrifício e pagar o que deve, acaba por usar o cartão outra vez, contraindo mais dívida.

Siga o nosso conselho: se tem dívida no cartão de crédito, pare de utilizá-lo. Não faça nada com ele até ter pago a dívida totalmente. Depois sim, pode pensar em usá-lo novamente. É sempre bom saber o bom, o mau e o péssimo dos cartões de crédito antes de utilizar um.

5. O crédito pessoal pode ajudá-lo a baixar a sua taxa de juro

Em Portugal, o crédito pessoal tem em média TAEG entre os 10 e 15%. Uma ideia para pagar a dívida do cartão pode passar por pedir um empréstimo (assumindo que é aprovado). É certo que fica com outra dívida, mas com uma taxa de juro muito mais baixa. Esta é uma das funções do crédito pessoal.
Leia mais: Cartão de crédito ou crédito pessoal: qual deve ter?
Mas atenção, não estamos a sugerir que isto se torne um hábito – estará sempre a perder dinheiro devido aos juros. Mas ao menos não o vai conduzir a uma dívida descontrolada no cartão de crédito.

6. Fique financeiramente mais responsável

Pagar uma dívida é uma experiência valiosa de aprendizagem. Daqui por uns tempos, pode contar a história de como tinha um determinado montante e como o conseguiu pagar.

Pelo lado positivo, a maioria das pessoas que saem deste tipo de situações ficam mais confiantes no que toca a gerir empréstimos e cuidadosas com as suas finanças pessoais, combatendo os motivos que nos levam a recear cartões de crédito.

E, se não sabia como funcionavam os cartões de crédito antes, vai sair desta situação como um perito em pagar as contas e tempo e ultrapassar dívida do cartão de crédito em excesso.

Encontre o Cartão de Crédito certo

Poupe dinheiro ao encontrar o cartão com mais benefícios para si.