5 Situações em que provavelmente está a desperdiçar dinheiro

|Posted by | Poupança e Investimento, Todos os Artigos
Tags: , , , , ,

desperdiçar dinheiro

Verdade seja dita: ninguém gosta de desperdiçar dinheiro. Muitas vezes, por falta de tempo, de paciência ou até de conhecimento, acabamos por gastar em coisas das quais não nos apercebemos… Quando foi a última vez que olhou para o extrato do seu banco e viu quanto paga de comissões? Alguma vez pensou que a prestação da sua casa poderia ser mais acessível? É nestas e noutras situações que pode estar a ver o seu dinheiro voar da carteira sem saber.

#1 – Aquela promoção tão apelativa terá mesmo desconto? Poderá estar a desperdiçar dinheiro

Leve 2, pague 1!”, “desconto de 50% só hoje” ou “oferecemos o IVA” – quantos de nós já não se sentiram tentados a comprar um produto de que não precisávamos só de olhar para o quão apelativo parecia o desconto? A verdade é que nem todos os saldos e promoções são reais.

De falsas promoções está o mercado cheio. Especialmente se é daquelas pessoas que espera por dias como a Black Friday e a Cyber Monday para fazer determinadas compras, deve ter a certeza de que os artigos que está a adquirir estão, de facto, com um preço mais baixo.

Está à espera de um desconto naquela televisão que há tempos procura para a sua sala de estar ou naquele computador que vai finalmente substituir o portátil lento que tem lá em casa? O nosso conselho: vá registando, de tempos a tempos (durante algumas semanas), qual é o preço destes produtos e, de preferência, em diversos estabelecimentos.

Veja bem se o produto que vai comprar no dia do desconto até poderá estar noutra loja mais barato, mesmo sem qualquer promoção. Pode parecer que dá algum trabalho, mas só assim conseguirá poupar realmente.

#2 – Já olhou para o extrato e verificou quanto paga de comissões e anuidades?

Muitos bancos cobram comissões: estas estão presentes nas anuidades dos cartões de crédito, nas despesas de manutenção/gestão que normalmente são cobradas na sua conta à ordem todos os meses, no valor que paga por ter o cartão de débito, por realizar transferências ao balcão e ainda pelos livros de cheques.

No caso dos cartões de crédito, alguns têm a chamada comissão de disponibilização, que se traduz num valor anual devido pelo facto de ter este tipo de cartão. Note que nem sempre isto é negativo: dentro dos cartões que têm anuidade, pode compensar ter este custo se o cartão em questão tiver determinados benefícios associados, tais como milhas aéreas ou descontos numa rede de parceiros, por exemplo. É essencial comparar todo o mercado antes de decidir.

Se o que procura é apenas um cartão de crédito para poder fazer algumas compras online (pois muitos estabelecimentos obrigam a pagar com este método) ou até para reservar hotéis pela Internet, por exemplo, não procurando uma utilização maior do cartão, então mais vale escolher um que não possua anuidade.

#3 – Se tem um spread e uma TAEG elevados, transfira o empréstimo da casa

A EURIBOR ainda está em terreno negativo e os spreads dos bancos estão cada vez mais baixos. O que quer isto dizer? Que ainda é a altura ideal para transferir o crédito habitação para outro banco que ofereça melhores condições.

Para averiguar se esta mudança lhe compensa, é necessário realizar simulações em vários bancos. Para o mesmo montante e prazo de financiamento, compare sobretudo a TAEG, que reflete o custo anual de um crédito, englobando todos os encargos respeitantes ao mesmo.

Analise bem as suas condições atuais. Se conseguir encontrar uma proposta de crédito habitação com uma TAEG inferior à que tem atualmente, vai decerto poupar milhares de euros no custo total do empréstimo da casa.

#4 – O dinheiro que se esforça tanto por poupar todos os meses não está a render?

Poupar é uma decisão importante, quer se trate de uma poupança de longo prazo (juntar dinheiro para a reforma, por exemplo) ou de curto prazo (economizar para a entrada de uma casa ou para ir de lua-de-mel).

Se se empenha todos os meses para colocar de parte uma fatia dos seus rendimentos, o mais provável é que, devido aos efeitos da inflação, ao fim de algum tempo os seus esforços tenham sido em vão, uma vez que a grande consequência de um aumento generalizado dos preços reside numa redução do valor do dinheiro – isto significa que o montante que levou tantos anos a amealhar não irá valer o mesmo se a inflação aumentar, porque automaticamente terá perdido poder de compra.

Não quer isto dizer que não deve poupar – antes pelo contrário. Deve proteger-se ao aplicar as suas poupanças em produtos financeiros que possuam uma rendibilidade (traduzida em juros) acima da inflação.

E agora decerto vai perguntar: como saber se o produto financeiro em questão está a rendar acima da inflação? Simples. Tenha em mente a data em que pretende subscrever a aplicação financeira, veja qual é o valor previsto para a inflação nesse período e a este valor subtraia a rendibilidade oferecida pelo produto.

Portanto, se colocar as suas economias debaixo do colchão ou se estas estiverem paradas numa conta bancária sem render, está definitivamente a perder dinheiro.

#5 – Serviços associados ao pacote de telecomunicações que podem ter custos extra

Gosta que as pessoas que lhe telefonam oiçam uma música enquanto não atende a chamada? Este serviço, chamado Waiting Ring, possui um custo mensal, embora possa haver ofertas gratuitas por parte de algumas operadoras. Verifique, na sua fatura dos serviços TV Net Voz, se está a pagar por isto sem saber.

Ao procurar os preços de diversos pacotes de telecomunicações, importa verificar se o valor da mensalidade para o qual está a olhar já inclui o aluguer da box da televisão – esta pequena caixa pode significar um incremento na ordem dos 5 euros todos os meses.

Além disso, tome atenção a promoções temporárias. Imagine que a sua operadora lhe oferece um conjunto de canais de filmes e séries durante alguns meses. Após este período, se não anular o serviço, vai ficar a pagar pelo mesmo e pode ter uma grande surpresa na sua fatura mensal. Averigue bem qual a duração da oferta e, caso não pretenda continuar a dispor desta, desative-a atempadamente, evitando desperdiçar dinheiro.

Nair Dos Santos

Sobre Nair Dos Santos

Especializada em Economia Internacional, a Nair iniciou o seu percurso profissional em Marketing Institucional. Alia a sua criatividade ao universo financeiro com o objetivo de ajudar os portugueses a melhorar a sua literacia financeira e contribuir para o desenvolvimento de uma economia sustentável.