Como gerir as finanças com um cartão de crédito com cashback?

|Posted by | Cartão de Crédito, Todos os Artigos
Tags: , , , , ,

Como Gerir as Finanças com um Cartão de Crédito com CashbackFazer uma boa gestão dos produtos financeiros que se tem é meio caminho andado para umas finanças pessoais saudáveis. Entre as milhas aéreas, os pontos e os descontos, encontra-se também o cartão de crédito com cashback, o único que realmente apela a uma boa administração da conta bancária. E para que tal aconteça, existem alguns aspetos que deve ter em consideração. Vamos descobrir quais.

Como funciona?

Um cartão de crédito com cashback funciona numa lógica de “dar e receber”: basicamente, o consumidor só tem de utilizar o cartão como modo de pagamento e receberá, na sua conta, uma percentagem pré-definida do valor dos seus gastos. Esta quantia poderá ser depois convertida em compras em supermercados, restaurantes, postos de abastecimento de combustível e hotéis.

Contrariamente ao que acontece com o sistema de pontos, de descontos ou com os programas de milhas aéreas, o cashback acaba por ser uma alternativa mais versátil e abrangente, uma vez que pode ser gasto livremente em diversos produtos ou estabelecimentos comerciais, como qualquer consumidor faria normalmente com o saldo da sua conta à ordem.

O que oferece o mercado?

De um modo geral, os cartões com esta vantagem oferecem taxas de cashback entre 1% e 3%, para além da (excelente, diga-se de passagem) possibilidade de ainda terem anuidades grátis, eliminando os habituais custos que os consumidores têm com os cartões de crédito.  

Para se ter uma noção das opções que existem no mercado, comparámos as características básicas de quatro cartões de crédito com cashback de diferentes instituições (Cetelem, Banco Best, Santander Totta e BPI):

Oferta de cartões com cashback
Produto Anuidade TAEG Cashback Limite anual
Santander Mundo 123 Mensalidade: 2€
(isenta se houver compras no valor mínimo de 150€/mês)
14,1% 1% 18.000€
Best Gold American Express 1ª anuidade: 20€
Seguintes: 40€
14,3% 1€ por cada 300€ de compras (20€ na adesão) Sem limites
BPI Prémio 14€ 15,9% 1% desconto em compras convertível em cheques prémio Sem limites
Celetem Black 0€ 17,5% 3% (gasto máximo anual de 3.333€) 100€

Para se calcular o montante de cashback acumulado ao final de um ano utiliza-se geralmente a seguinte fórmula:

Fórmula

(Montante total de gastos por mês) x (12 meses) x taxa de cashback = Reembolso na conta

A Mariana, uma jovem de 31 anos adepta das novas tecnologias e para quem poupar é essencial, adquiriu recentemente um smartphone e pagou com o cartão de crédito, que inclui 3% de cashback. Assumindo que o telemóvel custou 590 euros, então o valor de retorno do cashback foi de 17,70 euros, o que já deu para comprar uma capa protetora para o telemóvel.

Já se tivermos em conta a família Alves, que gasta em média 300 euros por mês nas compras do supermercado, gera-se um reembolso de 108 euros no final de um ano. Já é o suficiente para poupar para as compras do Natal!

E se fizer sempre o pagamento antecipado, nem precisa de pagar os juros – e é assim que se faz uma boa gestão das finanças pessoais com um cartão de crédito com cashback.

Como escolher o melhor cartão de crédito com cashback?

Na hora da comparação, os fatores que se devem ter em conta são: a anuidade (o valor anual que se paga por ter o cartão), a TAEG (que é a taxa de juro) e, obviamente, a taxa de cashback. Ao olhar para estes três fatores em conjunto ponderam-se os benefícios face aos encargos associados e se as vantagens superam as desvantagens.

Um aspeto ainda a ter em atenção consiste nos limites de cashback que são impostos pelos cartões: existem alguns que só oferecem o reembolso em compras superiores a um determinado montante. Desta forma, o melhor conselho que podemos dar é utilizar o cartão de crédito com cashback nas compras mais caras, porque assim maximiza o montante devolvido no mês seguinte.

O montante que se recebe de volta poderá assim compensar os encargos com anuidades e despesas associadas ao cartão.

Portanto, a melhor maneira de fazer uma escolha acertada (e que permita maximizar as suas poupanças) é analisar bem as condições do serviço que está a contratar:

Note ainda que alguns cartões obrigam a que seja cliente do banco em questão. Pode ainda aproveitar a oportunidade para avaliar se está na instituição financeira que oferece mais vantagens para o seu estilo de vida.

Se for para usufruir de mais do que uma conta à ordem para transações simples (como transferências e levantamentos), vale a pena pesquisar alternativas e avaliar também os benefícios dos cartões. Avaliar todos os serviços em conjunto pode fazer muita diferença na sua carteira.

Ao poder recuperar parte das despesas que faz, as instituições financeiras oferecem cartões de crédito com cashback para premiarem os clientes por utilizarem os seus serviços, o que naturalmente vai incentivá-lo a gerir melhor os seus gastos.

Quando utilizado de forma racional, com todas as prestações em dia, acaba por ser uma melhor opção relativamente a um cartão que não possua este benefício, pois permite poupar ao mesmo tempo que se usufrui do mesmo. Basta fazer as contas!

Nair Dos Santos

Sobre Nair Dos Santos

Especializada em Economia Internacional, a Nair iniciou o seu percurso profissional em Marketing Institucional. Alia a sua criatividade ao universo financeiro com o objetivo de ajudar os portugueses a melhorar a sua literacia financeira e contribuir para o desenvolvimento de uma economia sustentável.

Comentários