Como Obter o seu Mapa de Responsabilidades de Crédito?

|Posted by | Produtos Bancários, Todos os Artigos
Tags: , , , , , ,

como obter o seu mapa de responsabilidades de crédito

Já alguma vez pensou onde poderia consultar e ter acesso a toda a informação relativa aos empréstimos passados e créditos que tem a decorrer no momento? Ou seja, a todo o seu historial de crédito… essa informação pode ser obtida no Mapa de Responsabilidades de Crédito que poderá ser retirado no site do Banco de Portugal.

No portal é possível ver representadas todas as responsabilidades de crédito que os clientes têm em curso e aprovadas para uma situação futura. Apresenta, igualmente, situações de incumprimento, avales ou fianças prestadas. Qualquer pessoa, singular ou coletiva pode e deve obter a sua declaração central de responsabilidade de crédito.

Como Obter a sua Declaração da Central de Responsabilidades de Crédito (CRC)?

Essa declaração pode ser exportada no site do Banco de Portugal. Para tal, pode optar por uma das seguintes hipóteses:

  1. Faz o download com o seu Cartão de Cidadão (tem de ter assinatura eletrónica ativada) do leitor de cartões;
  2. Pode descarregar o documento com o seu número de contribuinte e senha das finanças.

Para que Serve o Mapa de Responsabilidades de Crédito?

Na sua declaração de CRC, como já foi mencionado acima, tem acesso a todos os créditos que tem a decorrer, isto é, respetivos valores em dívida e prestações. O principal objetivo da CRC é apoiar as entidades financiadoras participantes na avaliação de risco da concessão de crédito.

Com vista a obter mais informações relativamente à declaração do mapa de responsabilidades de crédito poderá sempre consultar o respetivo caderno do Banco de Portugal.

Como Ler a Declaração?

Aquando da abertura do documento (um exemplo fictício representado abaixo), tem de saber interpretar vários conceitos… mas não se preocupe, estamos aqui para ajudar! Ora veja abaixo a legenda que preparámos para si de um mapa de responsabilidades de crédito.

mapaCRC

1) Nível de Responsabilidades: demonstra o tipo de produto em causa e, por sua vez, o número de titulares e/ou responsáveis (ex: avalista, fiador, entre outros).

2) Produto Financeiro: aqui poderemos verificar que tipo de produto se trata (se um crédito individual, crédito ao consumo, de habitação, entre outros). Tenha em mente que para o dos Descobertos em Depósitos à Ordem, o montante que apesar de ser positivo na declaração é para ter sido em conta como negativo (que está a ser utilizado e está em dívida). Então, estes nunca poderão ser consolidados.

Normalmente o descoberto à ordem pode ir até 100% do valor do ordenado que é domiciliado na conta à ordem, ou seja, o banco tem sempre como garantia que, no final do mês quando o ordenando entra, o cliente tem como liquidar a dívida.

3) Prazo Original: tal como se pode prever, diz respeito ao prazo inicial acordado no momento em que foi assinado o contrato, para amortizar o valor total do financiamento.

4) Prazo Residual: indica o tempo em anos e meses que faltam para liquidar a dívida.

5) Situação de Crédito: indica em que estado se encontra o crédito ou potencial valor que podemos tirar partido. Abaixo, os cinco estados possíveis.

  • Potencial: o que a título individual a pessoa está autorizada a utilizar
  • Regular: o que está em dia e a ser utilizado
  • Vencido: apresenta o valor do crédito que se encontra em atraso (dívida) e o respetivo tempo de incumprimento
  • Renegociado: é o passo posterior ao vencido, isto é, houve um atraso de alguma prestação e, por sua vez, o cliente renegociou a sua dívida com a entidade financeira (ex: prolongamento do prazo de pagamento)
  • Abatido ao Ativo: já houve renegociação da dívida e o cliente não tem como liquidar o valor

6) Duração de Incumprimento: período a partir do qual o crédito está vencido.

7) Prestação: conforme o próprio nome indica, é o valor mensal que a pessoa paga do empréstimo que contratou. Tenha em atenção que os cartões de crédito não apresentam prestações, visto que existem várias modalidades de pagamento (desde 5% a 100%), modalidade essa que dependerá sempre do que for estipulado pelo titular do cartão.

8) Garantias: está interligado com o produto a que está associado. Normalmente são valores mobiliários ou imobiliários. Por exemplo, o valor da casa num crédito de habitação ou um depósito a prazo no caso de um crédito pessoal.

Outros Aspetos Importantes a Ter em Conta

Quando os empréstimos são demasiados e, consequentemente, as despesas superiores ao rendimento auferido pelo agregado, a taxa de esforço é elevada e, portanto, a probabilidade de vir a poder obter um empréstimo são mais reduzidas. Veja como pode calcular a sua taxa de esforço.

Caso a taxa de esforço for até 33%, poderá avançar com o pedido de crédito. Se este vier como pré-aprovado, terá de enviar a documentação requisitada, como é o caso de:

  • Cópia de Cartão de Cidadão
  • Comprovativo de Morada
  • Declaração de IRS e nota de liquidação
  • Recibo de Vencimento
  • Declaração da Central de Responsabilidades de Crédito (CRC)

O CRC será sempre pedido de forma a averiguar todos os créditos que tem a decorrer.

Veja também: “5 Fatores que os Bancos Valorizam para Crédito Pessoal

Agora já sabe: se algum dia for apanhado desprevenido e venha a precisar de obter um empréstimo bancário, tenha em mente que deverá ter sempre consigo a versão mais recente do seu CRC que, por norma, é atualizado a cada dois meses.

Adriana Inácio

Sobre Adriana Inácio

Formada em Gestão Hoteleira e especializada em Marketing Digital, a Adriana iniciou a sua carreira em hotelaria e, posteriormente, em marketing e publicidade. Explorando a temática das Finanças Pessoais associadas à Cultura e Lifestyle, das promoções aos cupões, passando pelas dicas de poupança mais criativas, a Adriana está sempre à procura de novas formas de ajudar os portugueses a otimizar a sua gestão financeira.