Acerto na fatura de energia: evitar pagamentos excessivos

André Nunes Especialista: André Nunes
Susana Pedro Editor: Susana Pedro

Recebeste um acerto na fatura de energia? Vê aqui como saber se está correto ou se estás a pagar mais do que deverias, e o que fazer nesta situação!

Está a chegar o final do ano, e muitos consumidores começam a deparar-se com o temido acerto de contas na fatura de energia. O valor proposto pela tua comercializadora pode surpreender, principalmente se te disserem que tens de pagar um valor avultado. Mas alguns cuidados simples podem ser a chave para evitar pagamentos excessivos.

Neste artigo, exploraremos os detalhes do acerto de final de ano, destacando a importância de examinar cuidadosamente as contagens e estimativas, e mostramos-te como podes corrigir eventuais discrepâncias com a tua comercializadora de eletricidade ou gás.

Aprofunda:

O que é o acerto na fatura da energia?

O acerto na fatura de energia ocorre geralmente uma vez por ano, no final do ciclo de faturação. Este processo tem o objetivo de ajustar eventuais diferenças entre os valores pagos mensalmente pelo consumidor e o custo real do seu consumo de eletricidade e gás ao longo do ano.

Nem sempre as empresas de energia realizam leituras frequentes dos contadores. Em vez disso, muitas vezes calculam as contas com base em estimativas do consumo. O acerto anual surge então para corrigir essas estimativas e garantir que o consumidor pague o que realmente consumiu.

O processo de acerto de final de ano envolve comparar as estimativas feitas ao longo do ano com as leituras reais dos medidores. Se as estimativas foram superiores ao consumo real, o consumidor receberá um crédito na fatura subsequente. Por outro lado, se as estimativas foram menores em relação ao consumo real de energia, o consumidor terá que pagar a diferença no acerto.

Lê também:

O que posso e devo fazer para me precaver?

Em primeiro lugar, recomendamos que prestes atenção e interpretes corretamente as tuas faturas de energia ao longo do ano. É importante que saibas exatamente quanto pagas por este serviço, e ainda quais os custos das taxas e impostos aplicados.

Para verificar se o acerto da fatura no final do ano está correto, podes seguir alguns passos:

  1. Conferir as leituras do contador – compara as leituras do medidor que constam na fatura com as leituras reais do teu contador. Isto pode ser facilitado caso a tua comercializadora tenha uma app disponível para ires acompanhando os teus consumos.

  2. Evitar as estimativas mensais – O ideal é enviar leituras todos os meses na data pedida pelo comercializador (que vem na fatura) e dessa forma pagas sempre o que consomes e diminuis drasticamente o risco de sofrer acertos.

  3. Calcular o consumo anual real – Soma todas as leituras reais do contador ao longo do ano para calcular o consumo total. Compara esse valor com o consumo total que consta no acerto de final de ano. Eles devem ser aproximadamente iguais.

  4. Prestar atenção às tarifas e encargos – Verifica se as tarifas e encargos aplicados na fatura estão corretos de acordo com o contrato estabelecido com a empresa de energia.

E se o acerto proposto estiver incorreto?

Se houver discrepâncias ou dúvidas, entra em contato com a empresa de energia. Eles podem fornecer explicações detalhadas sobre o cálculo do acerto e corrigir eventuais erros.

Guarda todos os registos de leituras de contadores, faturas e comunicações com a empresa de energia. Estes documentos podem ser úteis caso seja necessário contestar valores em acertos futuros.

Lembra-te de que as comercializadoras de energia estão abertas a esclarecimentos e ajustes, e a transparência na comunicação é fundamental para resolver qualquer divergência. Fica atento aos prazos para contestações e não hesites em procurar informações adicionais se necessário. Se as explicações fornecidas não forem satisfatórias, podes recorrer à ERSE para obter apoio.

O exemplo do André

O André, durante todo o ano 2023, pagou de gás uma média de 35 euros mensais. Chegado o último mês do ano, recebeu uma fatura com um acerto de mais de 100 euros, que deveria pagar até ao final do mês. Para verificar se o acerto proposto pela empresa de energia estava correto, o André tirou uma foto ao seu contador e calculou o seu consumo do ano:

  1. Soma dos consumos das faturas mensais pagas = 83 m3

  2. Total dos m3 na factura de acerto = 86m3

  3. Consumo no contador no início do período de faturação = 814m3

  4. Consumo no contador ao dia de hoje = 898m3

  5. Total de consumo de hoje retirando a contagem inicial = 84 m3

Assim, verificamos que a leitura real do início e do fim do período de faturação perfazem 84m3 de consumo, dos quais 83 m3 já foram pagos nas faturas anteriores. Apesar destes dados, a comercializadora de energia enviou um acerto de fatura com mais 86 m3, em vez de um acerto de 1 m3 (conforme calculado pelo André à data de hoje).

Assim, o André deverá dirigir-se à empresa de energia que contratou, através de email, para esclarecer esta situação. Caso a empresa não proceda à resposta, pode sempre dirigir-se à Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos, de forma a ter apoio.

Vê ainda:

Protege-te dos pagamentos excessivos no final do ano

Caso chegues à conclusão de que tens muito a pagar pela energia que consome, aconselhamos-te a procurar alternativas mais baratas no mercado. Ajudamos a poupar, comparando as tarifas e ofertas existentes no mercado, e simulando contigo quanto poderias poupar.

Ao compreender o acerto de final de ano e monitorizar de perto as contagens de kWh, os consumidores podem evitar pagamentos excessivos e garantir que estão a ser corretamente cobrados pelo consumo de energia. A transparência e a comunicação com a comercializadora são fundamentais para corrigir eventuais discrepâncias e garantir uma relação justa.


André Nunes
André Nunes
Especialista Energia