Em que situações compensa ter tarifa bi-horária?

|Posted by | Em Destaque, Energia, Todos os Artigos
Tags: , , ,

tarifa bi-horária

A escolha de tarifas de luz deve incidir não apenas no preço por kWh, mas essencialmente no tipo de equipamentos que se utiliza e nos hábitos de consumo dos mesmos. Se durante a semana só está em casa à noite ou se acaba por realizar tarefas domésticas só aos fins de semana, pode compensar contratar a chamada tarifa bi-horária.

Sempre que fizer uma nova ligação à rede elétrica, terá de contratar uma tarifa de eletricidade, que consiste no preço que vai pagar ao seu comercializador de energia pelo consumo deste serviço que efetuar.

Existem horários em que a eletricidade é mais cara devido ao facto de haver maior procura e outros em que é menor devido a um decréscimo da utilização nessas horas. Estes períodos são estabelecidos de forma a gerir a pressão sobre o sistema elétrico nacional.

Que tipos de tarifas de eletricidade existem?

Existem três tipos de tarifas.

1 – Tarifa simples

O consumidor paga o mesmo preço de energia elétrica a qualquer hora do dia e em qualquer altura do ano.

2 – Tarifa bi-horária

Existem dois preços diferentes para o consumo de energia elétrica que se aplicam conforme dois períodos distintos e horários de consumo:

  • Horas de vazio: neste período a eletricidade tem um custo mais reduzido e normalmente tal aplica-se no período noturno e aos fins de semana;
  • Horas fora de vazio: paga-se mais pelo consumo energético porque é nestas horas que geralmente se gasta mais eletricidade.

3 – Tarifa tri-horária

Similar à tarifa bi-horária, mas com três períodos de consumo:

  • Horas de vazio: com custo mais reduzido, sendo as horas do período noturno (a partir das 22h) e os fins de semana;
  • Horas de cheias: energia com preço intermédio;
  • Horas de ponta: custo mais elevado.

Basicamente, e resumindo, a distinção entre tarifas de luz incide nos preços a que a eletricidade é faturada conforme a altura do dia: se o preço é o mesmo em qualquer horário (caso em que se aplica a tarifa simples) ou se existem horas do dia em que o custo é mais acessível (tarifa bi-horária/tri-horária).

Como saber quais são os períodos horários?

As opções de períodos horários dividem-se em dois ciclos:

  • Ciclo diário: no qual os períodos horários são iguais em todos os dias;
  • Ciclo semanal: no qual os períodos horários diferem consoante se trate de um dia útil ou de fins de semana e ainda de acordo com a época do ano (inverno versus verão).

Qual a melhor opção?

A melhor solução de tarifa de eletricidade será a que lhe permite maximizar a poupança neste serviço. Abaixo deixamos-lhe três exemplos de situações que são adequadas à escolha de determinadas tarifas para que avalie se, por acaso, se identifica com algum.

O caso da Ana e do Tiago

O Tiago e a Ana são um casal de 30 e tal anos e têm um filho, Jorge. Ela sendo Analista Financeira e ele Psicólogo, ambos saem de casa de manhã cedo, de segunda a sexta-feira, só regressando a partir das 19h/20h e ambos não trabalham aos fins de semana.

Como também gostam de aproveitar os fins de semana para sair com o filho, acabam por ir tratando das tarefas domésticas à noite, durante a semana.

No exemplo específico deste casal, compensa contratar a tarifa bi-horária com ciclo diário, para que paguem menos de eletricidade à noite.

O caso da Marina

A Marina trabalha por turnos numa fábrica de peças para automóveis, sendo que os seus horários de trabalho vão diferindo de duas em duas semanas, acabando por realizar as suas tarefas domésticas tanto de dia como de noite, consoante a sua disponibilidade.

Numa situação como esta torna-se mais aconselhável optar pela tarifa simples, uma vez que existem semanas em que, muito provavelmente, os consumos de eletricidade vão fazer-se durante o dia.

O exemplo do António e da Catarina

A Catarina e o António praticamente não realizam tarefas domésticas durante a semana, deixando-as para o fim de semana, que é quando acabam por realmente ter mais disponibilidade.

Neste caso compensa mais escolher a tarifa bi-horária com ciclo semanal para pagarem menos de eletricidade aos fins de semana.

Como alterar a opção horária?

Deve entrar em contacto com o seu fornecedor de eletricidade (EDP, Endesa, Iberdrola, Goldenergy ou outro) para fazer esta mudança, que pode ser realizada em qualquer altura, sem custos associados.

A empresa de energia irá então mexer no seu contador para o efeito. Se mudar para a tarifa bi-horária, o seu contador passará a contabilizar as horas de vazio e fora de vazio.

Afinal, compensa aderir à tarifa bi-horária?

Tome atenção aos seus hábitos de consumo e verifique se está a consumir mais eletricidade no período em que esta é mais cara.

A maior desvantagem da tarifa bi-horária a assinalar é que se decidir usar grandes eletrodomésticos (tais como o forno, máquinas de lavar roupa e/ou loiça e ar condicionado) fora das horas de vazio, é possível que nesses períodos pague bem mais de eletricidade do que se tivesse a tarifa simples.

Veja estes valores na sua fatura da luz. Existe uma área da mesma na qual pode ter acesso ao consumo real, em kWh, nas horas de vazio, cheias e ponta. Olhe para esses valores e utilize o seguinte cálculo para saber se a tarifa bi-horária compensa:

Nº de kWh no Vazio x 2 comparado com Nº de kWh fora do Vazio

Para achar o consumo fora do vazio na sua fatura, basta somar o consumo em ponta e em cheia.

Se o número de kWh de eletricidade que consome no vazio vezes dois for inferior ao número de kWh que consome fora do vazio, então não compensa ter tarifa bi-horária. É uma questão de fazer as contas.

Nair Dos Santos

Sobre Nair Dos Santos

Especializada em Economia Internacional e Marketing Digital, alia a sua criatividade ao universo financeiro com o objetivo de ajudar os Portugueses a melhorar a sua literacia financeira e contribuir para o desenvolvimento de uma economia sustentável.

Comentários