PSP e ComparaJá.pt – Não dê crédito ao dinheiro fácil

|Posted by | Crédito Pessoal, Impostos e Legislação, Todos os Artigos
Tags: , , , ,

credito-dinheiro-facil

A informação dissipa-se online à velocidade da luz. A internet bombardeia-nos diariamente com dicas para ganhar dinheiro fácil e promessas de créditos rápidos que vão solucionar todos problemas financeiros. Mas serão confiáveis? Sabe se estará prestes a ser vítima de um esquema fraudulento? Juntámo-nos à Polícia de Segurança Pública (PSP) para sensibilizar os portugueses para os perigos associados às ofertas de empréstimos entre particulares e entidades não habilitadas na internet.

O que é um empréstimo particular?

Os empréstimos particulares são financiamentos concedidos entre particulares, ou seja, sem se recorrer a instituições financeiras. Este negócio consiste na concessão de crédito por parte de um particular a outro, sendo que estas duas pessoas definem entre si os prazos e as taxas de juro a aplicar.

A facilidade e rapidez deste tipo de créditos é o principal motivo pelo qual as pessoas recorrem a esta modalidade, muitas vezes esquecendo-se dos eventuais riscos a que se podem sujeitar caso solicitem a entidades não habilitadas.

Cuidados a ter

Estes esquemas, especialmente vocacionados para atrair pessoas que enfrentam urgências financeiras e não conseguem obter crédito junto de instituições legítimas, poderão ser detetados antecipadamente caso os consumidores conheçam as condições necessárias à celebração deste tipo de empréstimos.

Em colaboração com a PSP e no âmbito da campanha “Não dê crédito ao dinheiro fácil” partilhamos dicas de prevenção e deteção antecipada de potenciais esquemas fraudulentos. Veja o vídeo:

#1 – Recuse pagamentos antecipados

Desconfie se alguém desconhecido prometer um empréstimo rápido e com condições fantásticas através das redes sociais, de emails não solicitados e forúns online e não efetue qualquer tipo de pagamento.

#2 – Procure um advogado

Mesmo nos casos de contratos de mútuo, ou seja, dos empréstimos entre particulares que estão previstos na Lei Portuguesa, é aconselhado que se procure sempre um advogado para a revisão do contrato e, posteriormente, que haja formalização junto das entidades competentes.

Como alerta José Figueiredo, CEO do ComparaJá.pt “Os consumidores têm de ter especial atenção e cuidado com este tipo de promessas de dinheiro fácil e rápido. Antes de aceitarem qualquer tipo de proposta de crédito, especialmente por parte de particulares, é imprescindível confirmarem a validade e legitimidade dos credores e do respetivo contrato do empréstimo”.

É importante realçar que os contratos de crédito entre particulares não são celebrados no âmbito de um contrato de mútuo estando assim à margem do enquadramento legal vigente e deixando os consumidores desprotegidos face a condições abusivas e a eventuais burlas.

Alexandre Coimbra, responsável da PSP reforça ainda que “Este esforço deve ser feito não só do lado dos cidadãos, mas também pelas plataformas onde são veiculados este tipo de esquemas, as quais deverão adotar políticas rigorosas que restrinjam a publicação de anúncios fraudulentos relacionadas com crédito”.

Comentários