Tudo o que deve saber sobre a avaliação de imóveis

|Posted by | Crédito à Habitação, Todos os Artigos
Tags: , , , ,

avaliação de imóveis

Sabe que fatores influenciam a avaliação de imóveis? E em que situações é requerida, bem como quais os documentos necessários? Para a constituição de um crédito à habitação é essencial que se realize esta avaliação e o cliente deve conhecer alguns aspetos importantes para que não saia prejudicado.

A avaliação de imóveis permite que a instituição financeira saiba quanto vale a habitação e, assim, tomar uma decisão sobre a concessão de um crédito à habitação para si. Este é, então, um custo que terá de suportar logo no início da compra de casa.

Para conseguir ter uma noção mais concreta sobre qual o custo real do empréstimo que pretende obter, deve olhar para o montante total imputado ao consumidor (MTIC), pois este reflete todos os encargos associados ao financiamento, incluindo a comissão de avaliação de imóveis.

6-meses-de-telecomunicacoes6-meses-de-telecomunicacoes6-meses-de-telecomunicacoes

Quem faz a avaliação de imóveis?

Este processo, que é suportado pelo comprador da habitação, deverá ser realizado por uma entidade especializada. Assim, os próprios bancos cobram uma comissão de avaliação de imóveis para concretizar esse processo e, assim, decidirem se, e em que termos, concedem o financiamento.

No entanto, o próprio comprador pode (e deve) realizar uma avaliação imobiliária independente à habitação que pretende comprar, uma vez que o consumidor tem de dar um valor estimado da casa ao banco.

É possível, então, recorrer a quatro avaliadores de imóveis:

  • Empresas especializadas ou técnicos por conta própria que façam esta avaliação;
  • É possível recorrer a alguns sites de avaliação de imóveis, não pagando nada pelo processo;
  • Portal das Finanças também disponibiliza um avaliador de zona geográfica, atribuindo um valor à habitação e um montante a pagar de impostos;
  • Alguns bancos também começam a disponibilizar um serviço de avaliação de imóveis independente dos seus créditos à habitação, como é o caso do BPI.

O ideal será optar por um agente especializado para obter um relatório detalhado e mais completo. É importante referir que, e tal como recomenda o próprio Banco de Portugal, os relatórios de avaliação de imóveis deverão ser entregues aos consumidores e não apenas às instituições de crédito.

Note que a avaliação de imóveis é sempre exigida pela instituição financeira, independentemente de o cliente realizar uma avaliação através de avaliadores especializados. Isto porque atualmente os parâmetros de avaliação dependem da entidade bancária e porque estas têm parcerias com determinados avaliadores de imóveis.

No entanto, existe a possibilidade de, no futuro, o cliente apenas ter de pagar uma única avaliação de imóveis, que poderá ser aceite por todas as entidades bancárias.

Quando se faz a avaliação de imóveis?

A avaliação de imóveis é feita em duas situações distintas. Em primeiro lugar, é realizada aquando da constituição de um crédito à habitação. Sempre que um indivíduo pretende comprar uma casa, deve pagar a avaliação desse mesmo imóvel.

Para além disso, também é necessário que exista uma avaliação de imóveis quando se procede à transferência de crédito à habitação. Em primeiro lugar, a instituição financeira para a qual irá transferir o seu financiamento precisa de confirmar o valor de avaliação e, por outro lado, se a casa já tem alguns anos, o seu valor de avaliação é, geralmente, diferente.

Ao transferir o seu crédito à habitação, consegue não só reduzir a prestação mensal a pagar, como poderá aumentar o prazo de pagamento e reduzir as taxas de juro. É, então, um processo menos burocrático e mais simplificado.

Existem outros casos em que fará sentido realizar a avaliação de imóveis: em processos de partilhas de herança, quando os herdeiros não chegam a acordo relativamente ao valor do imóvel; e ainda quando se pensa em vender a casa, para poder vendê-la ao seu valor atual.

Por outro lado, existe a possibilidade de isenção no pagamento desta comissão de avaliação, quando o cliente opta por comprar uma casa do próprio banco. Estes imóveis têm inúmeras vantagens, como isenção de comissões iniciais ou possibilidade de financiamento a 100%.

Que fatores influenciam a avaliação de imóveis?

Para determinar o valor da habitação, a avaliação de imóveis tem, geralmente, os seguintes fatores em conta:

  • A localização da casa, incluindo o piso, a vista que é possível ter a partir da habitação, a orientação solar e ainda as acessibilidades;
  • A qualidade da construção do imóvel;
  • A data de construção;
  • O estado de conservação (para casas usadas);
  • O terreno onde está inserida;
  • A tipologia e a disposição da habitação;
  • Os acabamentos e equipamentos disponíveis;
  • As facilidades da habitação, isto é, estacionamento, piscina, elevador, espaços verdes, entre outros;
  • O estado do mercado, ou seja, a procura e a oferta atual.

Assim, quanto melhores forem estes fatores, maior será o valor de avaliação da casa.

Recorde-se que é muito importante, para quem procura uma casa, escolher a que mais se enquadra tanto nas suas necessidades, como nas suas capacidades de pagamento. Quanto maior e mais luxuosa for a casa, maior será o seu custo e, consequentemente, mais terá de pagar mensalmente ao banco pelo seu crédito à habitação.

O ideal poderá passar por recorrer a um agente especializado para vender a sua casa,  obtendo um relatório detalhado e mais completo. Por fim, é importante referir que, e tal como recomenda o próprio Banco de Portugal, os relatórios de avaliação de imóveis deverão ser entregues aos consumidores e não apenas às instituições de crédito.

Rute Claro

Sobre Rute Claro

Formada em Gestão de Marketing, a Rute especializou-se em Comunicação, Marketing e Publicidade. Através do gosto que tem pela escrita, pretende demonstrar aos portugueses que os produtos e serviços financeiros não são um bicho de sete cabeças e que é, de facto, possível poupar.

Comentários