E se o Pai Natal tivesse um cartão de crédito?

|Posted by | Cartão de Crédito, Todos os Artigos
Tags: , , , ,

E Se o Pai Natal Tivesse um Cartão de Crédito?Imaginemos que chegava o dia de Natal e o pior acontecia… Os elfos do Pai Natal fizeram greve. Dos mais de 10 milhões de habitantes em Portugal, aproximadamente 1,5 são jovens abaixo dos 15 anos. Com os seus ajudantes em greve seria um desespero e o mais provável era o Pai Natal precisar de dar uso ao seu cartão de crédito para pagar todas as despesas associadas a fazer tantos presentes…

De certeza que a banda magnética ficaria gasta num instante. Se assim fosse, quanto pagaria pelo dia de Natal e com que juros? E que benefícios poderia receber no cartão? O que aconteceria ao seu historial de crédito? Vejamos.

Recuperaria parte do dinheiro gasto

Embora as milhas aéreas sejam um dos benefícios mais conhecidos dos cartões de crédito (especialmente depois do anunciado sucesso do Programa de Milhas TAP Victoria), na época natalícia não há nada como ter um cartão com cashback (não só para São Nicolau, mas para os portugueses em geral!).

Desta forma, é possível receber de volta, na conta, entre 1% a 5% do dinheiro que se gastou no Natal. Imaginando que se despendeu, no total, 550 euros no mês de dezembro com um cartão com cashback de 3%, por exemplo, ganhar-se-ia de volta, em janeiro, 16,50 euros.

Já no caso do Pai Natal, imaginando que usaria este método de pagamento para financiar presentes no valor de 25 euros para cada uma das crianças em Portugal (um gasto de 37,5 milhões de euros no total), com um cartão de crédito como o Cetelem Black (cujo cashback é de 3%) receberia de volta 1.125 milhões de euros em cashback.

Poderia também trocar o trenó pelo avião

Já se o Pai Natal optasse por um cartão com milhas, o mais certo era no ano seguinte deixar de lado o trenó e usar um avião!

Apenas a contar com o valor das prendas para as crianças portuguesas, e possuindo um cartão de crédito que oferece uma milha por cada euro gasto (como o WiZink Rewards), trata-se de 37,5 milhões de milhas ganhas com a greve dos elfos. Dava para ir de Portugal ao México 535 vezes!

Já para não falar dos pontos e dos descontos…

São Nicolau seria muito esperto se aproveitasse os descontos associados ao cartão de crédito e comprasse presentes para as crianças nas lojas parceiras do cartão de crédito.  

E melhor seria ainda se, a comprar presentes de 25 euros para todas as crianças, tivesse um cartão com pontos que lhe permitisse acumular um ponto por cada euro gasto (como é o caso do Programa de Pontos do WiZink Rewards).

Dessa forma, no Natal do ano seguinte, já teria 37,5 milhões de pontos acumulados que poderia usar para comprar também parte das prendas do ano seguinte (ou “mimar” os seus ajudantes para não fazerem greve novamente!).

Já ao nível dos descontos, por exemplo, se o Pai Natal tiver um cartão de crédito da Caixa Geral de Depósitos pode ter uma redução de preço de 10% no Real Bellavista Hotel & SPA em Albufeira para usar nas férias do ano seguinte com a senhora Nicolina.

O único senão seriam os juros

Assim que a ronda da meia-noite do Pai Natal estivesse terminada (e ainda bem que as renas não estão descontentes e não fizeram greve também!), e ele estivesse de volta para o quentinho da sua casa com a senhora Nicolina, de certeza que ia precisar de uma caixa do correio muito maior devido à quantidade de extratos do cartão de crédito que ia receber…

Para liquidar uma dívida de 37.5 milhões de euros com um cartão de crédito com TAEG de 19%, durante 12 meses (portanto, até ao ano seguinte), no final do prazo o Pai Natal pagaria cerca de 44.5 milhões de euros, o que dá juros de aproximadamente 7 milhões de euros.

Parece um valor elevado, mas, ainda assim, o Pai Natal estaria a trabalhar bem para o seu historial de crédito: ou seja, o histórico de todas as compras que efetuou a crédito e a indicação sobre se foi cumpridor ou não de todos os pagamentos.

Quanto melhor for este indicador, maiores são as possibilidades de conseguir um empréstimo no futuro – todas as instituições financeiras consultarão isto através do Mapa de Responsabilidades de Crédito. Se o Pai Natal liquidasse todas as prestações mensais dentro do prazo estipulado, o seu historial de crédito sofreria uma melhoria mais do que considerável.

Conselhos para o Pai Natal e elfos não abalarem o historial de crédito nesta quadra

Comparar os cartões de crédito é essencial

Para quem gosta de usar o cartão de crédito para as suas compras, nada como escolher um que ofereça a melhor relação “custo-benefício”: com uma TAEG baixa ou então com anuidade a custo zero ou, melhor ainda, com vantagens associadas ao cashback, pontos, descontos ou milhas aéreas. Para visualizar toda a oferta no mercado, consulte a nossa plataforma de simulação:

Escolher o cartão mais adequado pouparia ao São Nicolau milhares de euros em juros logo no primeiro ano de utilização.

Não pagar apenas o mínimo

Se se pagar apenas o montante mínimo exigido por mês para liquidar a dívida do cartão de crédito, pode levar-se anos e anos a mais para pagar tudo de volta e, além disso, os juros ficam muito mais elevados.

Nair Dos Santos

Sobre Nair Dos Santos

Especializada em Economia Internacional, a Nair iniciou o seu percurso profissional em Marketing Institucional. Alia a sua criatividade ao universo financeiro com o objetivo de ajudar os portugueses a melhorar a sua literacia financeira e contribuir para o desenvolvimento de uma economia sustentável.

Comentários