Seguro automóvel: jovens pagam quase duas vezes mais

|Posted by | Seguros, Todos os Artigos
Tags: , , , ,

Seguro automóvel: jovens pagam quase duas vezes mais
Entre os aspetos que mais influenciam o custo de um seguro automóvel encontram-se o histórico de sinistralidade, a tipologia de veículo, a localidade de circulação e o número de anos enquanto condutor declarado.

Para apurar qual o peso deste último fator no prémio cobrado pelas seguradoras, a plataforma de simulação gratuita de produtos financeiros ComparaJá.pt analisou o mercado português e concluiu que uma diferença de dez anos pode significar pagar o dobro no seu seguro automóvel. Mas cuidado: colocar o seguro em nome dos pais para “contornar” este obstáculo vai contra a lei.

A idade do condutor influencia mesmo o preço do seguro automóvel

Num mercado no qual, segundo a Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões (ASF), o parque automóvel seguro atinge praticamente os 7 milhões comparamos, a partir de dois perfis com uma diferença de 10 anos enquanto tomadores de seguros, qual a variação média dos preços dos prémios dos seguros cobrados.

O fator diferencial de ambos os perfis é a idade dos condutores, que têm, respetivamente, 20 e 30 anos e, consequentemente, há quanto tempo tiraram a carta de condução, de forma a que a análise fosse o mais fidedigna possível.

Direct, Caravela, Tranquilidade, Fidelidade, Ok!Teleseguros, Logo, Mapfre e N Seguros foram as seguradoras escrutinadas pelo ComparaJá.pt, todas elas admitindo o pacote do seguro automóvel apenas com o seguro de responsabilidade civil.

Diferenças nos Prémios
Seguradoras Perfil 1 (20 anos) Perfil 2 (30 anos)
Logo 239€ 140€
Fidelidade 247€ 189€
OK Teleseguros 262€ 168€
Direct 276€ 212€
Mapfre 385€ 198€
Tranquilidade 392€ 190€
N Seguros 429€ 229€
Caravela 462€ 370€
Média 336€ 212€

Como se pode ver consoante a tabela acima, o preço médio pago por um condutor que se enquadre no Perfil 2 é de 212 euros, enquanto um consumidor em linha com o Perfil 1 pagará em média 336 euros, podendo em alguns casos pagar o dobro do Perfil 2, com variações que podem atingir os 106%.

Essa diferença de preços no seguro automóvel pode chegar a um valor próximo dos 200 euros por ano, conforme conclui a nossa análise.

Mas atenção: seguro automóvel em nome dos pais é ilegal

Por vezes, com o intuito de reduzir os encargos com os seguros, os pais optam por não colocar os seus filhos como condutores habituais. Para além de estarem apenas a adiar o “problema”, isto porque quanto mais tarde os declararem como condutores habituais menos histórico terão – pagando na mesma prémios avultados -, não estão a cumprir a lei.

Isto acontece dado que o tomador do seguro automóvel, ao não revelar que o condutor habitual do seu veículo é um jovem recém encartado, omitindo a real identidade do mesmo, indicando que é ele o próprio condutor, está em incorrer contra o expresso nos pontos nº 1 e 2 do Artigo 24º do Decreto Lei nº 72 de 16 de Abril de 2008 (Subsecção II) dando à seguradora o direito de terminar o contrato caso se prove que o condutor habitual não é o próprio tomador do seguro. Ora, em caso de acidente, isto significa que o condutor do carro deixa de beneficiar de proteção do seguro, incorrendo em responsabilidade civil perante a lei.

Afinal que fatores influenciam o prémio do seguro automóvel?

São muitos os fatores que afetam o prémio de um seguro automóvel, tornando complexo quer o processo de escolha por parte do tomador, quer a avaliação por parte da seguradora. Idade do condutor (materializada no número de anos enquanto condutor declarado), histórico de sinistralidade, as características do veículo e a localidade de circulação são os fatores que mais influenciam o custo do seguro.

Para além disso, cada seguradora pode considerar ou não estes e outros aspetos, assim como ponderá-los de forma diferente no cálculo do prémio e respetivas prestações, uma vez serem livres de terem a sua tabela de preços específica para ambos os tipos de seguro – seja de responsabilidade civil, que é obrigatório por lei, seja para danos próprios.

Frederico Moura Martins

Sobre Frederico Moura Martins

Formado em Ciências da Comunicação e especializado em Ciência Política, o Frederico iniciou o seu percurso profissional em jornalismo e, posteriormente, em produção de conteúdos digitais. Procura aplicar a sua paixão por contar histórias na desmistificação da complexidade dos produtos e serviços financeiros para ajudar os portugueses a poupar e a tomar decisões informadas e conscientes nos diferentes âmbitos das suas Finanças Pessoais.

Comentários