Pequenos vícios geram grandes poupanças

|Posted by | Lifestyle, Poupança e Investimento, Todos os Artigos
Tags: , , , , , , ,

Pequenos vícios geram grandes poupanças

A maioria dos portugueses possui algum tipo de pequeno vício. De acordo com os últimos dados do Eurobarómetro de Maio de 2015, 25% dos portugueses admitia ser fumador. O álcool é outro dos grandes vícios, sendo que de acordo com a Nielsen foram consumidos 117 milhões de litros de cerveja em 2015. E também em 2015, só em raspadinhas, ultrapassaram-se os 900 milhões de euros em receitas brutas.

Mas e se, ao invés de gastar dinheiro nestes vícios comumente aceites, o colocasse a render beneficiando dos juros?

Para apurar quanto dinheiro os consumidores nacionais poderiam estar a poupar e rentabilizar se passassem a ficar “adictos” à poupança, delineamos três diferentes perfis exemplificativos da sociedade portuguesa para fazer as contas.

O Jorge bebe 6 cervejas por dia (1 euro por cerveja), a Ana compra uma raspadinha de 1 euro por dia e preenche três casas do Euromilhões à terça e à sexta-feira e o Rodrigo que fuma um maço de cigarros por dia que custa 4,40 euros.

Vício Gasto mensal
Jorge 6 cervejas por dia (1€ x 6) 180€
Rodrigo 1 Maço de cigarros por dia (4,40€) 132€
Ana 1 Raspadinha + 6 casas Euromilhões por semana 78€

Mas afinal quanto é que uma pessoa que abandona estes vícios pode esperar ganhar? Pegando nos três cenários propostos analisámos o rendimento conseguido ao investir em produtos com uma rentabilidade de sensivelmente 4% ao longo de 30 anos. Para efeitos de análise, considerou-se que o custo dos vícios aumentaria 3% a cada ano e que cada mês teria apenas 30 dias.

Menos idas ao café pode render milhares

Entre as várias refeições diárias e o indispensável convívio ao final do dia com os seus amigos lá no café do bairro, o Jorge costuma beber diariamente seis cervejas.

Se ao invés disso, passasse a poupar os 168 euros, indo menos vezes ao café e mais vezes ao banco para colocar o dinheiro poupado a render, o Jorge conseguiria poupar 29.446,83 euros a 10 anos e 83.162,57 euros ao final de duas décadas. Já ao fim de 30 anos rentabilizar o valor poupado em cerveja, o total amealhado ascenderia a 177.042,46 euros.

Álcool
Anos Meses Rendimento
10 120 29.446,83€
20 240 83.162,57€
30 360 177.042,46€

Se aliarmos isso ao facto de não sabermos o dia de amanha, e nem o próprio posto de trabalho estar devidamente seguro, é bom estarmos precavidos para um eventual despedimento ou corte salarial. 

Amealhar mais de 75.000 euros apostando nas poupanças ao invés de um golpe de sorte

A Ana costumava comprar uma raspadinha de 1 euro por dia e apostar seis casas do Euromilhões a cada semana (três à terça e outras três à sexta-feira). Querendo uma forma mais segura de ganhar dinheiro, deixou de jogar e passou a ir ao banco alocar a poupança conseguida (76 euros mensais).

Resultado: Ao final de 10 anos amealharia 12.760,29 euros, passados 20 anos teria  35.627,06 euros e, por fim, completados os 30 anos juntaria 75.490,06 euros.

Jogo
Anos Meses Rendimento
10 120 12.760,29€
20 240 35.627,06€
30 360 75.490,06€

Enquanto chefe de família deve ter a noção bem clara do seu orçamento mensal e que gastos evitar, de forma a estar constantemente equilibrado.

Deixar de fumar: vantagens para a saúde e para a carteira

Pressionado pela família, o Rodrigo decidiu que vai deixar de fumar. Já a pensar na sua reforma, determinou que passaria a amealhar os 4,40 euros que gastava a diário num maço de tabaco para o colocar a render.

Feitas as contas, o pai de família juntaria 21.594,34 euros em 10 anos e em 20 anos conseguiria amealhar 60.985,89 euros. Já ao final de 30 anos o Rodrigo teria juntado 129.831,14 euros. 

Tabaco
Anos Meses Rendimento
10 120    21.594,34€
20 240    60.985,89€
30 360  129.831,14€

Resumindo e concluindo não teste os seus limites nestes “pequenos vícios”, invista sim, em si próprio e no seu futuro e tente adotar alguns dos conselhos que lhe demos e, mesmo que não poupe o montante total acima descrito, reserve pelo menos parte desse valor para dias menos bons.

Adriana Inácio

Sobre Adriana Inácio

Formada em Gestão Hoteleira e especializada em Marketing Digital, a Adriana iniciou a sua carreira em hotelaria e, posteriormente, em marketing e publicidade. Explorando a temática das Finanças Pessoais associadas à Cultura e Lifestyle, das promoções aos cupões, passando pelas dicas de poupança mais criativas, a Adriana está sempre à procura de novas formas de ajudar os portugueses a otimizar a sua gestão financeira.

Comentários