Menu
Ligue
Ligue 211 165 765 Seg - Sex: 10h às 19h

Financiamento

Dê crédito aos seus projetos
  • list-iconCompare mais de 20 bancos
  • list-iconConsiga as TAEG mais competitivas
  • list-iconApoio especializado sem compromisso

Crédito Pessoal

Perguntas Frequentes

Como funciona o financiamento no crédito ao consumo?

Este tipo de crédito permite ao cliente aceder a financiamento para vários fins.

Há também uma série de termos que deve perceber e dominar de forma a fazer uma decisão informada acerca do melhor produto a contratar.

Finalidade

Havendo vários tipos de crédito pessoal, a finalidade dos mesmos também varia. Normalmente há ofertas específicas de financiamento, dependendo do fim a que quer dirigir o pedido de empréstimo. Entre as finalidades mais requisitadas deste tipo de crédito encontram-se: férias, obras e mobiliário, automóveis usados, formação, financiamento de pequenos negócios, pagamento de cirurgias e outras intervenções médicas, etc. No entanto, também existe a possibilidade de solicitar um crédito ao consumo sem ter que comprovar o destino do mesmo, sendo este chamado de crédito sem finalidade.

Montante máximo e prazo

Ao optar pelo financiamento via crédito pessoal, tenha em atenção que o montante e o prazo solicitado, influenciarão a taxa de juro associada ao crédito. Os valores de crédito podem oscilar entre 500€ e 75.000€ sem que tenha que associar uma garantia real. O prazo máximo para um crédito pessoal é de 120 meses.

Plano de pagamento

O reembolso do empréstimo é feito em prestações mensais constantes, significando que todos os meses o cliente vai amortizando o financiamento através do pagamento de um determinado montante. No crédito pessoal não se apresentam fiadores, mas é possível juntar-se um segundo titular para facilitar a aprovação do empréstimo.

Que documentação é necessária para conseguir este empréstimo?

De forma a conseguir-se uma aprovação mais célere do crédito pessoal, o cliente deverá apresentar a seguinte documentação:

  • Documento de Identificação: Cartão de Cidadão (CC) ou Bilhete de Identidade (BI) devem ser suficientes. Se tiver outra nacionalidade que não a portuguesa, deve levar uma autorização de residência (que deverá ser permanente, para facilitar a aprovação do empréstimo);
  • Cartão de Contribuinte, como complemento do Bilhete de Identidade;
  • Comprovativo de morada, tais como faturas de água, luz, telefone (fixo ou móvel), gás, TV por cabo, carta de condução ou domicílio fiscal;
  • Declaração de IRS e Nota de Liquidação do IRS;
  • Comprovativo de rendimento: no caso de trabalhador por conta de outrem, recibos de vencimento dos últimos meses. Já no caso do reformado, é essencial a declaração anual de pensionista;
  • Mapa de Responsabilidades de Crédito;
  • Extratos Bancários dos últimos 3 meses;
  • Comprovativo de IBAN (International Bank Account Number): cópia do cartão multibanco e talão do multibanco com IBAN ou comprovativo de IBAN impresso através do site do seu banco.

O nosso serviço de apoio, que não tem custos para o consumidor, guiá-lo-á na recolha da documentação, de forma a conseguir a aprovação do financiamento de forma mais rápida e menos burocrática.

Ao que deve olhar para conseguir o melhor financiamento?

O simulador do ComparaJá.pt permite ao cliente ter acesso às melhores ofertas do mercado. A tabela de resultados, a que terá acesso depois de preencher os passos que lhe permitem criar o perfil de pedido de crédito, terá as ofertas discriminadas por uma série de fatores.

Há sobretudo três a que deve atentar: a TAEG, o Montante Total Imputado o Consumidor (MTIC) e a prestação mensal. A primeira refere-se à taxa do empréstimo ou, como a própria sigla indica, Taxa Anual Efetiva Global. É um excelente indicador uma vez que inclui os encargos com juros, despesas de processo e comissões, assim como os custos do seguro do crédito.

Já o MTIC é indicativo do custo total do crédito ou, por outras palavras, do total que o cliente terá que desembolsar na totalidade do empréstimo. Por fim, a prestação mensal indica a mensalidade a pagar como reembolso do valor financiado.

Precisa só de ter em atenção que os valores dados são apenas estimativas aproximadas dos reais valores do crédito que lhe será concedido.