Quais as fases de aprovação de um crédito para comprar casa?

|Posted by | Crédito à Habitação, Todos os Artigos
Tags: , , , ,

crédito para comprar casa

Um processo de financiamento à habitação pode prolongar-se por mais de três meses até estar concluído, dependendo do historial do cliente. Um pedido de crédito para comprar casa é sempre muito mais demorado e burocrático do que o referente a um carro ou à compra de um novo computador, por exemplo, o que faz sentido na medida em que acaba por ser o compromisso financeiro mais avultado na vida de um consumidor. Fique a conhecer as cinco fases de aprovação de um crédito para comprar casa.

Se o período de aprovação do crédito para comprar casa não é propriamente célere, a etapa que o antecede – correspondente à realização de diversas simulações em vários bancos por forma a escolher o financiamento mais adequado – também não deverá ser.

Esta fase acaba por ser a única que depende, única e exclusivamente, do consumidor. Não deverá aceitar a primeira proposta que lhe aparecer, devendo solicitar várias em mais do que três instituições para que possa comparar, através da FIN que lhe será entregue, o spread que lhe oferecem, a TAE e o Montante Total Imputado ao Consumidor (este último referente ao valor total que será pago no final do empréstimo, somando o capital, os juros e os seguros associados).

Para receber simulações adaptadas ao seu perfil, aceda à nossa plataforma de crédito à habitação:

Analise ainda que produtos poderá contratar para fazer baixar o valor do spread: a subscrição de cartões de crédito, a domiciliação do ordenado, seguros de vida e/ou multirriscos, produtos de poupança e afins costumam ser os mais frequentes.

#1 – Envio de documentação

Após a escolha da instituição financeira na qual pretende fazer o pedido de crédito para comprar casa, ser-lhe-á solicitado o envio dos seguintes documentos:

  • Documento de identificação pessoal: BI e NIF ou Cartão de Cidadão;
  • Documentação comprovativa de rendimentos: fotocópia dos últimos três 3 recibos de vencimento, fotocópia dos últimos três extratos bancários, fotocópia da última declaração de IRS e Nota de Liquidação, declaração da entidade patronal a comprovar vínculo contratual e antiguidade na empresa;
  • Documentação relativa ao imóvel: fotocópia da Certidão de Teor (também designada por Certidão Permanente de Registo Predial), Caderneta Predial, Ficha Técnica da Habitação, Licença de Utilização e Certificado de Desempenho Energético e da Qualidade do Ar Interior;

Consoante o perfil de cada consumidor, podem ainda ser requeridos os seguintes documentos:

  • Para os trabalhadores por Conta Própria ou Independentes: Escritura de constituição de Sociedade ou Início de Atividade;
  • Três últimos comprovativos das responsabilidades de crédito que constam do Mapa de Responsabilidades do Banco de Portugal (saiba aqui como adquirir este comprovativo);
  • Para quem está divorciado: Sentença Judicial de Divórcio e Acordo sobre o Exercício do Poder Paternal;
  • Comprovativos de aplicação de capitais próprios;
  • Comprovativos de outros rendimentos, se for o caso.

O ideal é reunir toda a papelada ainda no momento em que anda à procura da sua habitação para que depois todo o processo se desenrole de forma mais célere.

 #2 – Pré-aprovação do crédito para comprar casa

Depois do envio de todos os documentos que o banco solicita, segue-se uma fase em que o mesmo irá analisar se o cliente tem viabilidade ou não para se poder avançar com o financiamento.

Esta etapa consiste assim numa primeira aprovação que não é propriamente do crédito, mas sim referente à elegibilidade do consumidor. Obviamente, os bancos desejam que lhes seja reembolsado o valor que emprestaram, por isso naturalmente avaliam primeiro se os futuros devedores serão bons potenciais clientes.

É precisamente neste estádio que olharão para a sua situação profissional, para os seus rendimentos, para a sua taxa de esforço, etc. Normalmente, a pré-aprovação pode durar até pouco mais de um mês. Se precisar de auxílio para facilitar a pré-aprovação e de acompanhamento ao longo de todo o processo, consulte a nossa plataforma:

Se, no final, a instituição financeira apurar que reúne todos os requisitos necessários e todas as condições para avançar, é então dado início ao processo de crédito para comprar casa. É provável que seja também neste período que o banco indicará se as condições apresentadas na simulação inicial se mantêm ou se mudaram as taxas de juro e os produtos associados.

#3 – Avaliação do imóvel

A avaliação do imóvel encontra-se diretamente relacionada com as condições do empréstimo na medida em que determina qual é o valor máximo que o banco estará disposto a financiar.

Neste terceiro trâmite, o banco em questão contrata uma empresa especializada e independente que procede à avaliação do imóvel e que emite um relatório em conformidade. O avaliador determina o valor da habitação em função de diversos aspetos, tais como a localização, o tamanho, número de janelas (iluminação), serviços e infraestruturas envolventes, etc.

Esta fase geralmente não se estende por mais do que uma semana, contando com a visita e a entrega de toda a documentação necessária. Note ainda que este procedimento tem custos para o consumidor que, regra geral, se traduzem na chamada comissão de avaliação, que é cobrada ao cliente pelo banco – tal só não se costuma verificar quando os imóveis são do próprio banco.

#4 – Realização da escritura de compra e venda

Após a etapa de avaliação do imóvel entra-se na última fase do contrato de crédito para comprar casa.

Desde logo, este é o estádio em que há lugar ao pagamento do IMT (Imposto Municipal sobre Transmissões Onerosas de Imóveis) nas situações em que não existe isenção. Esta é a primeira parte desta última etapa, porque o comprovativo de liquidação deste imposto tem de ser apresentado no ato da escritura.

Segue-se a escritura da habitação, que é realizada com a presença de todos os intervenientes na Conservatória do Registo Predial (com recurso ao serviço Casa Pronta) ou no Cartório Notarial. Aqui o comprador passa a ser o proprietário legal da habitação. Para esta são precisos os seguintes documentos:

  • Documentação fiscal e civil de ambas as partes;
  • Comprovativo de pagamento do IMT;
  • Identificação do registo e matricial do imóvel;
  • Licença de utilização;
  • Certificado energético.

Esta fase subdivide-se assim em dois momentos: em primeiro lugar, a assinatura da escritura de compra e venda (descrita acima) e, posteriormente, a celebração do contrato de mútuo com hipoteca, que engloba tudo o que diz respeito ao crédito à habitação. É precisamente após este último trâmite que o banco disponibiliza ao cliente o montante necessário para pagar a casa.

#5 – Aprovação do crédito para comprar casa

Por fim, é emitida a carta de aprovação (também designada por carta de oferta) que confirma todas as condições finais do crédito para comprar casa. A partir deste momento não podem registar-se quaisquer alterações aos valores e taxas que constam deste documento.

Quanto tempo demora a aprovação de crédito habitação?

Cada processo de empréstimo para compra de casa é um caso específico, existindo igualmente instituições que poderão ser mais rápidas do que outras a realizar a análise de risco do cliente. Desde o envio da documentação por parte do consumidor para o banco até à marcação da avaliação do imóvel, passando pelo pagamento da entrada inicial até à aprovação final antes da escritura, este processo normalmente não demora menos do que um mês até estar concluído.

Embora se trate de um processo um tanto ou quanto demorado, ao conhecer todas as fases torna-se mais fácil acelerá-lo e ter toda a documentação pronta e organizada. Naturalmente, é provável que possam ser necessários fiadores e existe ainda a possibilidade de escolher métodos de reembolso diferentes do das prestações constantes, tais como carência ou diferimento de capital, que irão interferir nas condições do crédito para comprar casa.

Nair Dos Santos

Sobre Nair Dos Santos

Especializada em Economia Internacional, a Nair iniciou o seu percurso profissional em Marketing Institucional. Alia a sua criatividade ao universo financeiro com o objetivo de ajudar os portugueses a melhorar a sua literacia financeira e contribuir para o desenvolvimento de uma economia sustentável.

Comentários